quarta-feira, 17 de março de 2010

• Até um vilão sente dor

LUXÚRIA - Foram tempos difíceis, mamãe mal queria se levantar da cama. Estava em uma depressão tão grande que até mesmo eu que espantei. Ela só sabia ficar remoendo aquelas palavras.

LAURA - "EU PREFIRO QUE MORRA".


LUXÚRIA - Até eu que era muito pequena naquela época, sentia saudades dele. Apesar de não ter sido o melhor pai do mundo, eu sempre acreditei que ele pudesse mudar. Mais já vejo esse mesmo passado se repetindo a muitos e muitos anos. E ele continua o mesmo. O fato de eu não poder conseguir mexer no passado e mudar, me faz perceber que é inútil.


É doloroso ficar vendo o mesmo passado de dor e sem glorias e não poder mudar uma só palavra!
Fico pensando o que é que Miguel quer de nos. Não estamos mortos por isso não podemos descansar. Mais também não estamos vivos! Somos mortos vivos. Uma mistura do que acontece quando se está morto e não pode ir pro inferno muito menos pro céu.


Miguel diz que Deus nos espera no céu e que ate mesmo nós os sete pecados capitais temos o carinho e o amor de Deus. Mais como chegar até lá? Ele não da respostas pra essas perguntas.
Diz ele que se tiver fé e acreditar, vamos saber o que fazer.


- Passaram se cinco anos... -

Nenhum comentário:

Postar um comentário